Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Cidades

PANDEMIA FAZ MUITOS CASAIS ADIAREM O PLANO DE TER FILHOS

Medo do coronavírus e dificuldade financeira são os principais motivos apontados

Por greyce bernardino | Edição do dia 24/07/2021

Matéria atualizada em 23/07/2021 às 21h26

Nirvhana e Alexandre se casaram em junho e não têm planos de aumentar a família agora
Nirvhana e Alexandre se casaram em junho e não têm planos de aumentar a família agora | ARQUIVO PESSOAL/ DIVULGAÇÃO

Oficializar a união e construir uma família são sonhos de muitos casais. No entanto, a maternidade foi adiada por muitas mulheres devido a pandemia da Covid-19. Como foi o caso da recém-casada Eliana Santos, de 24 anos. Ela e seu marido, Bruno Avelino, de 26 anos, planejavam tentar engravidar após uma viagem de lua de mel entre março e abril. Com a pandemia, o casal não só decidiu adiar a viagem como também a gravidez. Eles, como outros casais, relataram que a dificuldade financeira pesou na hora de pensar em aumentar a família.

“A gente tem receio, pois sabe que a doença é traiçoeira. Então, preferimos aguardar para quando a metade da população estiver vacinada”, explicou Eliana.

“Na nossa cabeça, adiamos para 2022 o sonho de construir uma família. Estamos pensando positivamente que, no máximo no começo do ano que vem, todos já estejam vacinados. E, claro, tudo já vai tá funcionando em sua normalidade, com menos dor e desemprego”, acrescentou Bruno. Assim como ocorreu com o casal, o novo coronavírus mudou os planos de gravidez de Emmanoeli Silva e Euller Aquino. “Queremos, sim, ter filhos. Mas, acreditamos que esse não seja o momento, pois, queremos aproveitar mais o casamento a dois, e achamos que ainda somos um tanto novos pra ter filhos agora. Sem falar que tem toda a questão da pandemia”, disse Emmanoeli. Ela e o marido se casaram em uma cerimônia íntima em setembro do ano passado, respeitando todo o protocolo de segurança contra a Covid-19. “Eu e o Euller nos conhecemos no início de 2012 e começamos a namorar em setembro do mesmo ano. Continuamos namorando e, em 2017, decidimos noivar. Estávamos na faculdade e decidimos que só iríamos casar quando terminássemos os estudos. Foi quando a gente se casou em setembro de 2020”, relembrou.

Sobre ter filhos, a jovem completa: “Pensamos em tentar nos organizar financeiramente para proporcionar algo melhor para o futuro do nosso filho. Mas, lógico, que também não depende só de nós. Vai que Deus queira nos abençoar logo com um filho? Mas, como disse, no momento não pensamos em ter um bebê. Acho que a pandemia influenciou de uma certa forma, principalmente financeiramente. Mas, por outro lado, não influenciou tanto porque engravidar não é uma prioridade na minha vida”.

Nirvhana Ribeiro e Alexandre Ribeiro, de 25 anos e 30 anos, respectivamente, selaram a união no civil no dia 15 de junho. O casal também não deseja ampliar a família no momento. A cerimônia de casamento com toda a família está marcada para o mês de outubro.

Apaixonado, o casal possui, sim, o sonho de ter um filho, porém, a realidade não está propícia ao desejo. Alexandre já tem um filho de 8 anos, fruto de um antigo relacionamento, mas não esconde a vontade de ter mais um filho com a sua atual esposa. “Se dependesse do Alexandre, eu já estaria grávida, porque ele quer ser pai novamente. Mas, eu ainda não quero. Meu desejo no momento é curtir o nosso casamento e, claro, me estabilizar financeiramente para, depois, pensar em um bebê. Ele [Alexandre] apoia minha decisão”. E completa: “Tenho 25 anos e quero ter um filho aos 28. Nesse período de três anos quero viajar e conquistar muitas coisas com o meu marido. Daí, quando tudo estiver tranquilo e bem folgado no bolso, vamos dar início às tentativas de aumentar a família”. Ela também falou sobre a pandemia. “Esse vírus influenciou o nosso plano de não ter um filho agora, pois, além da situação financeira que está afetando a muitos, também tem a questão de ‘não trazer uma criança para essa realidade’ que estamos vivendo agora, que é cheia de doenças e incertezas”, afirmou.

“Colocar um filho no mundo é mais do que responsabilidade, é pensar no futuro da criança, no bem-estar, no quão responsável você tem que ser em dar as melhores condições possíveis para seu filho, e, principalmente, educar nos tempos de hoje. Meu plano é: quando eu e Alexandre estivermos estabilizados financeiramente, aí eu quero preparar meu corpo e mente para isso também. Meu pai é o único que sempre diz: ‘quando for ter filho, se planeje 6 meses antes. Tanto físico, quanto financeiro e mental’. E foi isso que sempre planejei desde pequena. Quando eu for ter um filho, quero preparar meu corpo, saber se está tudo direitinho com minha saúde, me cuidar, fazer alguma atividade para ajudar na gestação. Quero mudar minha rotina e alimentação para que meu bebê nasça saudável e muito inteligente. Tudo isso requer planejamento e é isso o que eu busco e tenho todo o cuidado para acontecer da forma como penso e desejo”, ponderou.

Mais matérias desta edição