Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
DADOS

REVENDEDORES DE GÁS RETRATAM DIFICULDADES DEVIDO A AUMENTO

Antigamente ganhavam em torno de 10 a 12 reais por gás e hoje em dia 5 a 8, relatam

Por Clariza Santos | Edição do dia 07/04/2021

Matéria atualizada em 07/04/2021 às 02h05

Desde a última sexta-feira (2) vigoram os novos valores para a revenda do gás de cozinha no Brasil. O aumento de 5% anunciado pela Petrobras trouxe preocupação aos revendedores do produto em Alagoas, que relatam dificuldade de obter lucro e de escoar seus estoques.

Alesi da Silva, proprietário de um depósito fornecedor de gás de cozinha, em Cruz das Almas, parte baixa de Maceió, diz que, a depender da marca, seus preços variam de R$73 a R$79. Ele conta, ainda, que os clientes chegam a fazer piadas com o alto valor do produto, mas que sabe das dificuldades que muitos têm enfrentado para adquirir o gás.

“Alguns reagem com piadas, dizendo que tem ouro dentro, ou que é melhor cozinhar a lenha, mas muitas pessoas que trabalham vendendo seu bolinho na porta, já não conseguem ver seu lucro devido esses aumentos absurdos e, por isso, está sendo muito difícil vender gás ultimamente.”, contou.

Com pesar, ele conta que tem tentado atrair e fidelizar os clientes com inovações, como a distribuição de brindes. “As vendas caíram demais. Muitas pessoas estão fazendo pesquisa de preço e quando encontram até um real a menos, a gente já perde a venda. Eu cheguei a comprar 2 mil brindes para tentar driblar esses aumentos e não perder tantas vendas, já que não podemos aumentar tanto. Antigamente ganhávamos em torno de 10 a 12 reais por gás e hoje em dia 5 a 8”, disse.

Com pesar, ele conta que tem tentado atrair e fidelizar os clientes com inovações, como a distribuição de brindes
Com pesar, ele conta que tem tentado atrair e fidelizar os clientes com inovações, como a distribuição de brindes - Foto: @Ailton Cruz
 

Já o proprietário de um depósito situado no bairro do Jacintinho, Agenor Dirceu, conta que mesmo com o aumento no valor do gás, não tem conseguido aumentar os lucros do seu comércio.

“Estamos vendendo o gás por cerca de R$ 85, mas não registramos queda nas vendas, acredito que porque o povo precisa comer. Os clientes reclamam, mas não tem o que fazer, não podemos fazer do jeito que a gente quer e sim do jeito que nossos governantes querem e como as despesas aumentam junto com o valor do gás, nosso lucro até diminui”, contou Agenor.

Mais matérias desta edição