Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Economia

EMPRESAS MANTÊM HOME OFFICE MESMO COM RECUO DA PANDEMIA

A pandemia mudou a vida de muita gente. Muitas pessoas perderam familiares, empregos e sofrem até hoje com as consequências do isolamento social. Mas, por outro lado, a pandemia abriu um leque de oportunidades para as empresas com o home office. E, apesar

Por Tatianne Bandão | Edição do dia 25/06/2022

Matéria atualizada em 23/06/2022 às 22h07

A pandemia mudou a vida de muita gente. Muitas pessoas perderam familiares, empregos e sofrem até hoje com as consequências do isolamento social. Mas, por outro lado, a pandemia abriu um leque de oportunidades para as empresas com o home office. E, apesar de já estarem liberadas para voltarem ao trabalho presencial, muitas optaram por permanecer no modelo remoto.

É o caso da Mescla, empresa de pesquisa e desenvolvimento que ajuda pequenos e médios negócios. O modelo deu tão certo que melhorou a produtividade. “A equipe se enquadrou bem nesse modelo. Alguns colaboradores pegavam uma hora de ônibus para chegar ao trabalho. O tempo foi otimizado para elas utilizarem para fazer outras coisas da vida”, afirmou Sávio Carnaúba, sócio da Mescla.

Antes da pandemia, o sócio da empresa Doity, Uziel Barbosa, disse que a ideia do trabalho remoto até chegou a ser cogitada, mas que não foi a frente. “Existem os desafios do remotos que precisamos lidar todos os dias. Pensando no lado do colaborador, a grande maioria vê vantagem, para a empresa o desafio é maior. Assim que a pandemia começou, saímos para o home office sem saber quanto tempo ficaríamos nessa condição, acabou que estamos há dois anos”, conta Uziel.

De acordo com ele, a empresa que é uma plataforma criada para ajudar a organizar eventos corporativos, contratou mais funcionários no período da pandemia. “Estamos tentando fazer o modelo híbrido, com alguns encontros presenciais. O time acabou se adaptando e a gente viu que voltar ao presencial não seria o caminho. A gente trabalha com tecnologia e viu que não precisava voltar ao antigo modelo”, disse.

Não só a empresa teve que se adaptar ao novo mercado, os funcionários também precisam reajustar alguns pontos para conseguir dar conta da demanda, transformando a casa num ambiente de trabalho. É o caso da gerente de marketing Fernanda Lins, que disse que o processo de adaptação foi fácil e que o trabalho em casa traz vantagens. Ela aponta algumas desvantagens em relação ao trabalho remoto. “Eu penso apenas na questão de adaptação do ambiente e no compromisso que precisa ser mantido com disciplina e planejamento para não cair nas facilidades/praticidade de estar em casa e confundir as prioridades. Mas a maior das desvantagens é de alguma maneira se confundir nesse espaço casa/trabalho, o que pode mexer com psicológico, emocional”.

“Eu me sinto mais à vontade, não consigo quantificar se minha produtividade melhorou, mas que não prejudicou. O home office apareceu num momento que o mundo mudou a relação das pessoas com o lugar que elas vivem, então, isso teve um aspecto negativo. Mas agora, com o mundo voltando às atividades, pode ser que seja mais fácil aperfeiçoar esse formato, entender as necessidades”, finalizou.

Mais matérias desta edição