Maceió,
Nº 0
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN30072020

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 30/07/2020

Matéria atualizada em 29/07/2020 às 22h24

A disposição do governador de ameaçar os setores econômicos de que pode retroceder nas fases de reabertura do comércio e da indústria é considerada um contrassenso, já que o Estado não vem cumprindo com eficiência a sua parte.

Criticar a população por eventualmente não usar máscaras e participar de aglomerações é atribuição do Estado, que relaxou na fiscalização e permitiu a prática de que a máxima de que tudo acabou, está em pleno vigor. Se não fiscaliza como determina o próprio decreto, não tem como exigir dos outros.

A verdade é que o Estado não está demonstrando competência nas suas atribuições para controlar o ímpeto das pessoas e ser duro quando necessário para evitar o alastramento da doença. Com todos fazendo a sua parte, as dificuldades serão superadas. Apenas uma questão de tempo.

IMPROBIDADE

Enquanto navega para controlar a expansão do coronavírus, o Estado ainda tem que explicar direitinho ao Ministério Público e órgãos de fiscalização como gastou grande parte dos recursos enviados para Alagoas para compra de medicamentos e equipamentos para o combate à Covid–19. Para o promotor Coaracy Fonseca, não basta apenas ter em mãos um decreto de calamidade pública para enfiar o pé no acelerador. Tem que esclarecer minuciosamente e com transparência todos os atos da administração pública.

NO AR

Outra situação que está em fase de questionamento é a compra de respiradores com a suspeita de que os equipamentos foram superfaturados. E mais: que a maior parte deles nunca chegou ao seu destino, comprados que foram pelo estado de Alagoas através do Consórcio Nordeste.

NA MIRA

Todos esses questionamentos deverão ser respondidos em até dez dias pela Secretaria de Saúde, que deverá detalhar quanto recebeu do governo federal e quanto pagou por equipamentos para o combate da pandemia. Dependendo das respostas da Sesau, a fiscalização poderá se transformar numa ação civil pública.

GOLPE NA INTERNET

Os golpes na internet têm sido frequentes nos últimos meses e cada vez mais as autoridades recomendam muita prudência na hora da compra ou de qualquer transação financeira. Nesta época de pandemia, todo cuidado nunca é demais. Em caso de cair em uma armadilha, a primeira providência é fazer um boletim de ocorrência na polícia e procurar o Procon

SEM CRÍTICAS

Uma nota técnica publicada pela Controladoria-Geral da União defende que a divulgação por servidores federais "de opinião acerca de conflitos ou assuntos internos, ou de manifestações críticas ao órgão ao qual pertença" em suas redes sociais são condutas passíveis de de apuração disciplinar.

SEM CRÍTICAS 2

Esta não é a primeira vez que o tema vem à tona no governo federal. Em maio, uma nota técnica elaborada pela Comissão de Ética do Ibama também pretendia coibir as manifestações políticas contrárias ao governo nas redes sociais dos agentes ambientais. Em outra ação vista como tentativa de cerceamento da opinião dos servidores federais, o Ministério da Justiça elaborou um dossiê sigiloso contra servidores associados a grupos antifascistas

ADIAMENTO

O INSS publicou ontem, no Diário Oficial da União, portaria que adia para o próximo dia 24 a reabertura gradual de suas agências físicas em todo o País, devido à pandemia do novo coronavírus.


» O Instituto de Identificação de Alagoas vai voltar a fazer atendimentos presenciais na próxima terça-feira (4).

» Serão realizados atendimentos ao público no na sede órgão para emissão da primeira e segunda via da carteira de identidade, além da entrega de documentos impressos. Todos eles mediante agendamento prévio, feito de forma on-line.

» Após o anúncio do Banco Central de que vai lançar cédulas de R$ 200, o assunto tomou conta das redes sociais. Pedidos para trocar o lobo-guará pelo popular cão vira-lata caramelo, compaixão com os caixas que terão que dar troco para 200 e comparações com a valorização do dólar estão entre os memes mais compartilhados.

Mais matérias desta edição