Maceió,
Nº 0
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN08082020

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 08/08/2020

Matéria atualizada em 07/08/2020 às 22h12

Depois dos discutidos poços da Braskem por toda região do Pinheiro e que tantos prejuízos causaram e estão causando à população, os olhos agora se voltam para a exploração de água potável na capital e no interior.

Mesmo que os poços sejam monitorados em Alagoas pela Casal e que é necessária uma outorga para sua execução, a prática se tornou rotineira e um grande negócio para empresas especializadas no assunto. É de se perguntar, porém, aonde chegará tudo isso? Até quando os órgãos ambientais vão permitir a extração desmedida da água e se esses poços podem ou não comprometer o subsolo onde se concentra grande parte da população urbana?

É uma resposta que precisa ser dada pelas autoridades.


A VEZ DO TIO

Com a publicação no Diário Oficial da aposentadoria precoce do conselheiro do Tribunal de Contas Cícero Amélio, o governador do Estado mata dois coelhos com uma só cajadada. Salva Amélio de perder o cargo como foi decidido em instâncias superiores, mas sem trânsito em julgado até agora, e abre uma vaga que pode ser para o seu primeiro-tio, Olavo Calheiros. Como ela deve pertencer à Assembleia Legislativa, na ordem do dia uma grande negociação com os deputados.

PALCO

Os candidatos a prefeito e vereador já estão afiando a língua para discutir durante a campanha política soluções para os bairros do Pinheiro, Mutange, Bebedouro e Bom Parto. Estão crentes de que, com um discurso forte, arrancarão votos da revoltada população.

DEVAGAR

Embora tenha aparecido novas rachaduras em bairros vizinhos ao Pinheiro, um diagnóstico concreto ainda não foi divulgado pela Defesa Civil. No Bom Parto, as erosões já chegaram e a população aguarda o pronunciamento das autoridades e da Braskem.

SEM CONFIANÇA

As conversas que surgem em Maceió é de que o afundamento no bairro do Pinheiro e outros atingidos não passará disso, ou seja, não causará maiores problemas. Quem quiser que confie. Se não existe tanto perigo na região, por que a Defesa Civil programa uma ação de simulação em caso de tragédia? Realmente, não dá para entender.

E AS INDENIZAÇÕES?

Conversa vai, conversa vem, mas as indenizações dos imóveis pela Braskem andam a passos de tartaruga. Um mutirão do Tribunal de Justiça sugerido pela imprensa e associações, para agilizar a documentação de proprietários vítimas da tragédia que ainda não têm registro, parece não sensibilizar o TJ.

EMBRULHADA

A semana não começou nada boa para o governo do Estado. As denúncias de supersalários do secretário da Fazenda, George Santoro, e do seu assessor especial, Luiz Dias de Alencar, cedido pelo governo do Amazonas, foram o tema de sindicatos e de servidores nas repartições públicas.

FORA DO PADRÃO

Os salários de Santoro e Luiz Dias extrapolam o que estabelece a legislação de que nenhum servidor público pode ganhar mais do que um ministro do Supremo Tribunal Federal. Aqui em Alagoas, pode.

SOBRECARGA

Além dos supersalários, o governo de Alagoas também é acusado pelos sindicatos de não realizar concurso público para delegados de Polícia. Nos levantamentos feitos pelo Sindpol, mais de 50% dos municípios do Estado estão sem delegados titulares.


» De modo geral, na última semana ocorreu um relaxamento nas medidas de proteção contra a Covid -19. Isso aconteceu nos bares, nas praias e até mesmo em supermercados, que praticamente suspenderam a aferição de temperatura na entrada dos estabelecimentos.

» A tendência, de acordo com autoridades sanitárias, é aumentar o número de infectados pela abertura quase total dos segmentos produtivos ocorrida nos últimos dias.

» O ressarcimento do dinheiro dos respiradores comprados pelo Consórcio Nordeste e que nunca chegaram a Alagoas parece que está vindo nas costas de tartarugas. Será que o governo tem esperança de receber o que investiu a peso de ouro?

Mais matérias desta edição