Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Política

AMA vai observar cenário para orientar sobre realização de carnaval

Apesar da notícia de que vários municípios de São Paulo e de outras partes do País suspenderam a programação do carnaval em 2022, ainda não há discussão concreta sobre este assunto em Alagoas. O receio dos prefeitos de fora é de que a quarta onda de Covid

Por thiago gomes | Edição do dia 25/11/2021

Matéria atualizada em 24/11/2021 às 22h33

Apesar da notícia de que vários municípios de São Paulo e de outras partes do País suspenderam a programação do carnaval em 2022, ainda não há discussão concreta sobre este assunto em Alagoas. O receio dos prefeitos de fora é de que a quarta onda de Covid-19, atualmente castigando a Europa, possa chegar aqui, inviabilizando os festejos. A Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) recomendou prudência aos gestores e diz que vai analisar quadro para orientar sobre segurança do evento.

As prefeituras locais ainda estão na fase de planejamento dos eventos e dependem de uma orientação governamental. Por enquanto, não há nenhuma indicação, por parte da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), de que novas medidas de restrição sejam implementadas por causa da possibilidade de um novo surto de coronavírus. 

Na Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), a palavra de ordem é cautela. A presidência da entidade prevê que as discussões acerca do planejamento do carnaval e dos demais feriados do ano que vem devem ganhar força nas próximas semanas, levando em consideração as mudanças divulgadas em outros estados.

A AMA acrescentou que a decisão pela realização ou não dos festejos não depende somente dela. Será tomada com base na determinação/sugestão do Governo do Estado. “A pandemia ainda não acabou. Estamos acompanhando dados técnicos. Outros países já enfrentam mais uma onda de Covid, com a vacinação ainda avançando. Aqui, devemos avançar ainda mais, continuar acompanhando os dados e respeitando as medidas. Vamos aguardar e nos aprofundar para dar um parecer final nos próximos dias”, afirmou o presidente da AMA, Hugo Wanderley.

Em Maceió, a programação carnavalesca está sendo preparada pela Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC). A diretora-presidente do órgão, Mirian Monte, informou que os eventos são condicionados ao cenário de pandemia e dependem de uma série de fatores, inclusive de planejamento.

“Tudo o que estamos preparando é feito com organização. As contratações dependem de trâmites processuais e de cumprimento de prazos. Tudo deve ser feito com, pelo menos, três meses de antecedência. O que posso garantir é que o carnaval de Maceió está pronto, mas só vai acontecer se o quadro da pandemia estiver favorável”, destacou.

Monte afirma ser mais fácil dá uma contraordem do que uma ordem. Neste caso, explica que seria mais complicado ter que organizar uma festa em cima da hora do que cancelar uma programação já pronta. “Por isso, estamos nos preparando para o carnaval acontecer, inclusive com planos de lançar edital de apoio aos blocos no mês de janeiro”, revelou. 

A diretora diz que pretende manter contato com secretários de municípios onde tradicionalmente o carnaval é comemorado para discutir soluções e tomarem decisões em conjunto. A estratégia já está sendo feita pela Prefeitura do Recife.

Mais matérias desta edição