Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Política

CÂMARA DE MACEIÓ ENTRA EM RECESSO COM PAUTA ZERADA

Metade dos atuais vereadores está com as articulações avançadas para disputar eleições deste ano

Por thiago gomes | Edição do dia 02/07/2022

Matéria atualizada em 01/07/2022 às 22h55

|

A Câmara Municipal de Maceió (CMM) entrou em recesso nessa sexta-feira (1º de julho) com pauta zerada e com pontuais mudanças entre os vereadores. O primeiro semestre foi marcado por discussões e votações de projetos que interferiram diretamente na rotina do maceioense, como avalia a presidência da casa. Os trabalhos por lá só retornam no começo de agosto, assim como na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE). Na última sessão ordinária antes das ‘férias’, 22 dos 25 vereadores marcaram presença de forma presencial ou remota, já que a Câmara ainda mantém o formato híbrido das reuniões. Foram relacionados 83 itens na pauta para análise em plenário e foi necessária uma sessão extraordinária para apreciação de todos esses. “Tivemos grandes feitos ao longo do primeiro semestre, a exemplo da discussão da CNH Social e gratuidade do transporte público e a isenção da taxa dos ambulantes para aumento da margem de lucro. Foram discussões de pautas que interferiram diretamente na vida das pessoas”, afirmou o presidente da Mesa Diretora da CMM, vereador Galba Neto (MDB). Ele ainda destacou o clima de harmonia na atividade parlamentar neste período. “Encerramos fazendo um agradecimento especial a todos os vereadores pelo equilíbrio, pela convivência e por terem contribuído para ações tão importantes para a cidade”, completou. O recesso também começou com o anúncio de algumas mudanças na composição da Câmara. A partir desta sexta-feira, 1º de julho, o vereador Joãozinho (PSD) se licencia por 123 dias das atividades parlamentares. Em nota, divulgada pela assessoria de imprensa, ele explicou que o afastamento acontece para dedicação à pré-candidatura a deputado federal no pleito eleitoral deste ano. Joãozinho também vai coordenar a campanha do ex-prefeito Rui Palmeira (PSD) ao governo de Alagoas. Durante o período de afastamento, o suplente de vereador por Maceió, Alex Anselmo (Podemos), assumirá o mandato. A direção de comunicação da Câmara informou que a posse dele deve ocorrer em solenidade na próxima segunda-feira (4). Dos 25 vereadores eleitos em novembro de 2020 (nem dois anos de mandato), pelo menos a metade (ou até mais) estão com as articulações avançadas para as disputas proporcionais em outubro deste ano. Com a experiência das urnas, eles se lançam a mais um desafio e tentam expandir as bases para o interior, atitude que é necessária para quem quer uma vaga na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) ou voar para Brasília, na Câmara Federal.

Inevitavelmente, por estarem na capital, seus nomes viram vitrine política, mas, este não é um fator determinante para obter a preferência do eleitorado no Estado. Dos detentores de mandato na Câmara de Maceió, boa parte se aventura na ‘popularidade’ que conquistaram nos últimos meses e se apega às novas ferramentas de comunicação, que devem impulsionar as campanhas deste ano.

Pelo cenário de momento, 14 vereadores por Maceió devem confirmar a candidatura este ano e, assim como deve acontecer no Poder Legislativo Estadual, provocar o esvaziamento das sessões ordinárias na Casa de Mário Guimarães. A caminhada até o dia da votação no primeiro turno, 2 de outubro, vai ofuscar discussões importantes para o município, obrigando o Parlamento Municipal a tocar o expediente com quórum mínimo. Por isso, 56% é o número que representa o percentual de parlamentares da Câmara que já se coloca como pré-candidato em 2022. Alguns até já disseram, publicamente, que são pré-candidatos ou ocupam espaço frequente em comentários analíticos de blogs políticos dando conta desta possibilidade ser real. São eles: Delegado Fábio Costa (Progressistas), Leonardo Dias (PL), Teca Nelma (PSD), João Catunda (Progressistas), Samyr Malta (PTC), Dr. Valmir de Melo (PT), Eduardo Canuto (Podemos), Alan Balbino (PSD), Francisco Sales (PSB), Brivaldo Marques (MDB), Pastor Oliveira Lima (Republicanos), Cláudio Moreira – Cau (PSC), Silvania Barbosa (MDB) e Gaby Ronalsa (União Brasil).

Mais matérias desta edição